goppp

Informações e notícias sobre colaborações público-privadas

EcoRodovias mira duas das nove rodovias de novo leilão

leave a comment »

Vencedora da última estrada federal leiloada no país, a BR-101, a EcoRodovias vai direcionar todos os esforços em apenas dois dos nove projetos do segmento a serem licitados neste ano pelo governo de Dilma Rousseff. A informação é do presidente da empresa, Marcelino Rafart de Seras, em entrevista ao Valor PRO, serviço de informação em tempo real do Valor.

“Não vamos estudar todas as estradas e, sim, selecionar aquelas que estrategicamente sejam mais adequadas. Nessas, vamos fazer todos os exercícios e esforços para poder conquistar”, disse o executivo, sem declarar quais são os dois empreendimentos de interesse.

Hoje, a empresa opera estradas importantes no país, como o Sistema Anchieta Imigrantes, que liga São Paulo ao litoral, e o corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto, que liga a capital paulista ao Vale do Paraíba. A empresa também presta serviços de logística. O grupo faturou R$ 1,8 bilhão nos nove primeiros meses de 2012, com lucro de R$ 291 milhões e Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 833 milhões. A margem do Ebitda sobre a receita líquida alcançou 49%.

A empresa arrematou a única rodovia licitada no governo Dilma até agora, a BR-101 (em trecho que percorre o Espírito Santo e parte da Bahia). No entanto, mais de um ano após o leilão, ainda não pôde assinar o contrato graças a uma liminar obtida pelo segundo colocado na disputa – o que tem sido lembrado como “alerta” por grupos do setor ao governo. Eles veem dificuldades para concretizar investimentos com celeridade. Seras, entretanto, nega que o episódio leve a uma queda do interesse por novos empreendimentos do tipo por parte da empresa.

Seras diz que a companhia já teve custos “importantes” com a rodovia, que já recebeu a capitalização necessária para o início dos investimentos. “É um caso ‘sui generis’, porque é a primeira vez que se ‘judicializa’ um caso de concessão rodoviária. Estamos preparados para entrar com todos os recursos cabíveis”, afirma. Não há previsão de o caso ser julgado de maneira definitiva pela Justiça.

Enquanto isso, a companhia prossegue com os estudos sobre os aeroportos de Galeão (RJ) e Confins (MG), cujas concessões já foram anunciadas oficialmente pelo governo e demandam investimentos de R$ 11,4 bilhões. A sociedade com o grupo alemão Fraport (operador de aeroportos como o de Frankfurt) continua valendo para novos projetos no Brasil, conforme anunciado no ano passado. Seras não descarta a entrada de outros parceiros na próxima disputa, que acontecerá em setembro, conforme o cronograma elaborado pelo governo. Se tiver sucesso, essa será a entrada da EcoRodovias em um novo setor.

Na área de logística, a companhia pretende expandir a atuação com a conquista de concessões no setor portuário. “Temos acessos [rodoviários] aos portos de Santos (SP), Paranaguá (PR) e Rio Grande (RS). E nesses eixos existe uma visão da companhia de fazer uma logística adequada”, diz ele, antes de confirmar o interesse em conquistar novos terminais no Sudeste e no Sul do país. As ferrovias, por ora, estão descartadas, embora a companhia veja sentido em atuar como transportador logístico nos trilhos em alguns anos.

Enquanto estuda a expansão em novos negócios, a empresa comemora aditivos contratuais em seu principal segmento – as rodovias. Há dois meses, a companhia conquistou um aditivo de R$ 328 milhões na Imigrantes, que garantiu uma extensão de 18 meses no contrato e uma taxa de retorno de 9,1%. A nova taxa, bem menor que as conquistadas nos anos 90, vai ao encontro do que é defendido pelo governo nos projetos do setor – apenas um dígito – e também é considerada “adequada” por Seras. “Essa nova taxa espelha uma realidade atual. Hoje, conhecendo seu contrato há 14 anos, seu tráfego, seus custos operacionais… é uma taxa adequada”.

Segundo o presidente, as taxas em novos aditivos não devem se distanciar muito do número conquistado na Imigrantes. Ele adianta que já há discussões com o poder público para incluir obras na Rodovia das Cataratas (BR-277), no Paraná, entre o interior do Estado e Foz do Iguaçu. A estrada já foi alvo de um aditivo e pode receber outro no trecho entre Cascavel e a fronteira, diz o executivo, sem fornecer detalhes.

Por Fábio Pupo | De São Paulo

Origem: Valor Econômico

Procedência: http://www.valor.com.br/empresas/2980346/ecorodovias-mira-duas-das-nove-rodovias-de-novo-leilao#ixzz2InTlKyJG

Written by goppp

23/01/2013 às 09:28

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: