goppp

Informações e notícias sobre colaborações público-privadas

Ótimo! O BNDES vai investir na concessão de portos e aeroportos

leave a comment »

Com uma única declaração, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, deu ontem em Brasília três informações que podem  ajudar a desatar os nós que mantém o Brasil preso ao atraso. Segundo ele, o banco oficial de fomento investirá pesado no plano de concessões de portos e aeroportos — que o governo deve anunciar nos próximos dias. A primeira boa notícia contida nessa informação é a de que esse plano, que já deveria ter sido anunciado há algum tempo, finalmente está perto de sair.    segunda é que, nele, a iniciativa privada terá papel de destaque (do contrário, não teria sentido falar em concessões). Finalmente, Coutinho diz que haverá recursos para os vencedores dos leilões colocar seus planos de pé. Isso quer dizer que a sociedade brasileira arcará com os custos da modernização dos aeroportos e dos portos por meio de recursos colocados à  disposição do banco público. Mas quer dizer também que o dinheiro investido voltará assim que as concessionárias quitarem os empréstimos. Dito assim, isso é de uma obviedade  desconcertante. Acontece que, no Brasil, existe muita gente que discorda dessa lógica.

As pessoas que são contrárias às concessões (nome pelo qual o atual governo prefere chamar a  privatização de serviços públicos importantes) acham melhor ver o governo enterrar recursos públicos num porto ou num aeroporto administrado por alguma agência estatal ineficiente  o que ver os serviços nas mãos de um operador privado. Essa é a verdade. Há 20 anos, quando o governo deu início à redução da presença estatal na economia, o Brasil vivia uma realidade muito parecida com a dos países comunistas. Praticamente não havia setor da economia em que não houvesse uma empresa oficial. O governo era dono de siderúrgicas, hotéis, fábrica de aviões, oficina de motores de aviões, mineradoras, frota de navios, usinas elétricas, e até da frota de gaiolas que subiam e desciam o Rio São Francisco. Isso sem falar das estatais estaduais que incluíam na lista uma fábrica de helicópteros em Minas Gerais, quase toda a malha rodoviária de São Paulo,uma companhia de aviação (a Vasp) e mais um monte de empresas. A onda de privatizações que começou no início dos anos 1990 foi boa para o Estado e para as próprias empresas—que se tornaram mais leves, eficientes e competitivas.

Esse é o ponto central. A privatização em massa foi, com toda certeza, um dos programas que ajudaram a melhorar a economia brasileira. Mesmo assim, volta e meia aparece alguém para criticar modelo e, pior do que isso, afirmar que bom era o tempo em que o Estado punha as mãos em tudo. A privatização dos portos e dos aeroportos é fundamental para o Brasil se livrar do atraso. Tomara que venha logo. ■

RICARDO GALUPPO
rgaluppo@brasileconomico.com.br
Publisher

Origem: Brasil Econômico

Procedência: Brasil Econômico

Written by goppp

30/10/2012 às 14:34

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: