goppp

Informações e notícias sobre colaborações público-privadas

(BE) Concessão do Galeão e Confins pode demorar

leave a comment »

Presidente Dilma prefere o modelo em que a Infraero fique no comando da administração.

A presidente Dilma Rousseff só deve bater o martelo em torno das concessões dos aeroportos de Confins, em Minas Gerais, e Galeão, no Rio de Janeiro, depois de esgotadas todas as  possibilidades de promover um modelo de administração dos terminais que tenha a Infraero como sócia majoritária no negócio.

A preferência de Dilma continua a ser por este modelo, apesar dos argumentos, ainda mais fortes, de que a solução mais viável para a reforma dos aeroportos seja para a concessão tradicional à iniciativa privada — o que significa entregar o controle do negócio a um operador privado. “Está acirrada a queda de braço entre integrantes do governo que defendem as concessões e outro grupo que quer um modelo alternativo”, diz um interlocutor da presidente.

Segundo a fonte, a missão de ministros ao exterior na última semana não foi considerada frustrada para os planos do governo. Apesar de alguns operadores consultados não terem demonstrado interesse em integrar sociedade de administração dos aeroportos sob o controle da Infraero, ainda existem outros operadores que estudam a  proposta.

A indefinição pode inclusive adiar ainda mais o anúncio de concessão dos terminais aeroportuários até então esperado para setembro. Segundo fontes, o processo para a finalização do programa de investimentos em portos, que corre paralelamente no Palácio do Planalto, está quase finalizado e deve mesmo ser anunciado ainda na primeira quinzena de setembro. A questão dos aeroportos pode acabar ficando para outubro.

Caso a única opção seja o modelo de concessão, nos moldes do já adotados para Guarulhos, Campinas e Brasília,  em fevereiro, o governo aproveitaria para ter um tempo maior dedicado a observar como se comporta o processo de transição da administração destes terminais das mãos da Infraero para a administração privada. O governo deve ter uma avaliação mais concreta deste processo nos próximos meses. O objetivo seria para afinar o modelo diante de possíveis correções de rumo a serem identificadas.

Segundo especialistas consultados pelo BRASIL ECONÔMICO, o processo para a concessão de Galeão e Confins, embora seja uma prioridade para o governo, está caminhando rápido demais. Hoje há quatro modelos de concessão de aeroportos em operação no país com regulação sob a responsabilidade da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). “Como é que a Anac vai regular todos esses modelos diferentes, se nem bem acabou um e o governo já está pensando em um quinto modelo?”, questiona o consultor em gestão de aeroportos, José Wilson Massa.

Dentre os modelos listados por Massa, estão: o aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte (100% entregue à iniciativa privada), os 63 aeroportos geridos pela Infraero (que apesar de pública, também tem outorga da União para operar os terminais), as concessões tocadas por estados e municípios (como as elaboradas para o aeroporto de Cabo Frio, no Rio de Janeiro), e finalmente as concessões mais recentes que têm a Infraero com 49% de participação em Guarulhos, Brasília e Campinas. ■

Ruy Barata Neto, de Brasília | rneto@brasileconomico.com.br

Origem: Brasil Econômico

Procedência: Brasil Econômico

Written by goppp

06/09/2012 às 14:59

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: